"As pessoas querem perguntar sobre minha vida, mas se vocês simplesmente olharem para as coisas que eu escrevo, ai sim saberão de toda minha história." (Marilyn Manson)

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Quando a máscara cai

Face alguns últimos acontecimentos que andei observando me pus a questionar sobre um termo muito conhecido e utilizado comumente entre as pessoas (inclusive por mim): ''UM DIA A MÁSCARA CAI''.


Coincidentemente, enquanto eu matutava sobre o assunto, Fernanda Estellita lançou essa frase no Facebook:


''O striptease do mau caráter termina quando a máscara cai.''

Máscaras de personalidade são moda desde que o mundo é mundo. Não sou religiosa, mas sei de várias passagens bíblicas que apontam metaforicamente o quanto as pessoas vestiam e se despiam de suas máscaras. 
É interessante perceber que essa tal máscara às vezes é utilizada inconscientemente na tentativa de esconder algum tipo de insegurança ou até mesmo, fragilidade.
Grandes líderes, por exemplo, tendem a manter uma postura inatingível enquanto, no fundo, são pessoas sensíveis, tímidas ou até mesmo inseguras.
Também vemos aquele bom moço, que para os olhos de muitos é alguém dócil, simpático e acima de qualquer suspeita quando, na verdade, é alguém que esconde uma essência atroz.
Indo mais longe ainda, também destaco aquelas pessoas que preferem se manter anônimas quando fazem grandes feitos ajudando o próximo porque não querem ''aparecer'' por motivos diversos.



Generalizando, acho que todos usam máscaras no seu dia-a-dia. Todos nós, dependendo da situação ou com quem nos relacionamos deixamos mais em evidência aspectos diferentes de nossa personalidade de acordo com a ''necessidade''. Não existe 100% vilão, tampouco 100% mocinho. Nesse duelo de máscaras diria que a probabilidade de empate é grande.
Nem sempre o usuário da tal máscara se dá conta de que a está usando...às vezes é um mecanismo de defesa ou convivência involuntário.
Seria mesmo justo dizer que quem deixa sua máscara angelical cair tem uma essência ruim? 


Convido a atirar a primeira pedra aquele que não se enquadrar nos questionamentos abaixo:

- Quem nunca demonstrou estar feliz quando, na verdade, queria sumir do mapa?

- Quantas vezes, em determinado momento, você se calou diante de um acontecimento pra não destoar da maioria?
- E virar as costas para determinada pessoa quando ela está sendo atacada por alguma atitude que você não tem certeza se ela cometeu?

- E se manter firme e forte quando, mais do que nunca,  você precisava de algo pra se apoiar?
- Ou se dar conta de que você passou anos adotando uma postura, quase se autoflagelando, só pra se encaixar nos padrões familiares, religiosos ou sociais?
- Ou, até mesmo, deixar de perdoar alguém que você já não guarda mais mágoa por ter que manter sua postura antiga por medo de desagradar quem ainda não perdoou?


São muitos questionamentos que devemos fazer antes de bater o martelo sobre a personalidade de alguém que não conhecemos por completo. Aliás, mesmo conhecendo alguém por anos a fio a chance de se surpreender é grande. 
A própria sociedade muitas vezes impõe, permite, fornece ou tendencia as pessoas a adotarem o uso daquela que mais convém ser usada. Porém, nem sempre entende e admite que quando algo dá errado ela (a sociedade) também tem sua parcela de culpa.


Conforme o tempo passa, todos deixam sua(s) máscara(s) cair, querendo ou não. Enquanto uns  ''chutam o balde'' outros se descuidam e, simplesmente, as perdem por aí...
E como cada caso é um caso, enquanto uns se arrependem, outros se libertam.



O peso e o tipo da máscara pode variar de acordo com a forma que você encara a vida. Ela pode ser feita de plumas ou de ferro. Vai do gosto do freguês.


Pensando nisso me vejo no dever de me policiar 
na hora de julgar usuários de máscaras. 
Afinal de contas, também sou dona de várias...assim como você!



2 comentários:

  1. Dai, concordo com vc...todos nos usamos mascaras...as vezes o momento pede!!! Tipo qdo estamos presentes no mesmo lugar que um desafeto nosso, como numa festa, num cabeleireiro e por aih vai. Fingimos que nao estamos nem aih, qdo na verdade temos vontade de grudar no pescoco da(o) dita(o) cuja(o).
    O problema maior se da no fato que algumas pessoas usam de mascaras como meio de chegar a um fim maligno. Abusam das mascaras em planos milimetricamente planejados.
    A esse tipo de pessoa penso que o termo "cair a mascara" soa como um balsamo em meus ouvidos, calcado na certeza que todo mal tem um fim!!

    ResponderExcluir
  2. Entendi sua colocação!
    Esse é o tipo de máscara que quem opta por usar e, fatalmente, a deixa cair, mostra uma face em estado de decomposição que, nem sempre tem cura de tão infectada que está.
    E isso é muito triste.
    Beijos, querida!!! =)

    ResponderExcluir

...

myfreecopyright.com registered & protected