"As pessoas querem perguntar sobre minha vida, mas se vocês simplesmente olharem para as coisas que eu escrevo, ai sim saberão de toda minha história." (Marilyn Manson)

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Bate-papo com meu amigo - Eu tomaria um porre!

Minha rebeldia em relação a religião vem de longa data. Estudei em colégio de freiras por 8 anos e, surpreendentemente (pra mim) afirmo que foram alguns dos melhores anos da minha vida. Consegui extrair muitas coisas boas e deletar da minha vida o que julguei, digamos, dispensável.
Em teoria, eu teria tudo pra ser uma pessoa que praticasse a religião intensamente, pois cresci em uma família católica praticante. 
Digamos que cumpri minhas ''obrigações'' para com a sociedade católica. Mas por motivos diversos, acabei por questionar muito a necessidade de me manter ligada as imposições da religião. Me diferenciei da minha família nesse quesito optando por ficar de fora da prática da religião em si (participante ativa na igreja). Me limito a praticar o bem sempre e manter-me fiel à Deus e a Seus princípios (mandamentos). E assim vou vivendo desde então.
O fato é que hoje, em comemoração ao aniversário da minha prima, eu me encontrava na casa dos meus tios. E como faz parte da tradição católica, nossa família se reuniu pra rezar o terço e, pra variar, eu me afastei e fiquei na sala ao lado, folheando uma revista enquanto ouvia o início das orações.

É engraçado como as coisas fluem dentro de nós, né? Foi com toda leveza que me peguei contagiada com o momento: enquanto os ouvia em prece, eu, timidamente (vergonha de mim, pra mim mesma! hahaha), me pus a fazer, em silêncio, uma pequena oração. 

Bom, não adianta! Comigo nada decorado funciona, tudo flui melhor comigo quando eu improviso. Foi aí que me peguei batendo altos papos com Deus. Que sensação incrível!!!
Falei em voz alta (mas de olhos fechados!)...senti meu Amigo à minha frente, me ouvindo, me confortando. Não, Ele não me respondia! Ele simplesmente sorria pra mim! Não me perguntem de rosto, fisionomia, nada disso! Falo de um sorriso abstrato, confortável, genuíno!

Esse foi um ano meio complicado...perdi pessoas que gosto. Mas não perdi pra morte não, perdi pra vida. A vida cobrou e eu perdi...simples assim! Mas já me conformei, não é esse o ponto!
O ponto é que senti Nele um amparo, um conforto, um bem estar que há tempos não sabia o que era!
Agradeci tanto, por tantas coisas...até pelas perdas em si! Curioso isso! Quando perdemos damos valor, né? Parece que pra crescer precisamos encolher um pouquinho...é sofrido, mas no final acaba sendo produtivo. O melhor seria só agregar, mas não é assim que funciona.

Voltando ao papo com o meu Amigo Deus, falamos sobre várias coisas...quer dizer, eu falei! E Ele ouviu e me entendeu! Pedi saúde de corpo e de alma pra mim e pra todos...citei todos os nomes que vieram na cabeça...fui muito longe! De vez em quando me pegava ouvindo as preces decoradas da parentada na sala ao lado e, como aprendi por osmose desde pequenininha, me peguei fazendo coro com eles: 

"Pai Nosso que estais no céu, 
santificado seja o vosso nome, 
vem a nós o vosso reino, 
seja feita a vossa vontade
assim na terra como no céu,
O pão nosso de cada dia nos daí hoje,
perdoai-nos as nossas ofensas, 
assim como nós perdoamos
a quem nos tem ofendido,
não nos deixei cair em tentação
mas livrai-nos do mal"
...etc...etc...etc...

Até que foi legal! Eram eles lá e eu e meu Amigo cá! Me peguei pedindo desculpas ao meu amigo, por mudar de ''assunto''...olha que loucura! Mas o Cara é tão parceiro que me entendeu! E continuamos a conversar...dei início as despedidas agradecendo mais por tudo que tenho na vida, minha família, minha vida, as oportunidades que Ele me deu em forma de recomeços (sou muito grata! Muito!) e também meio que confessando algumas coisas que andei fazendo de errado, humanamente errado!
Ô gênio ruim esse meu, fala sério! Fora a parte do gênio, tem a questão dos vacilos. Sou ''A'' vacilona. Não sei como ainda me aguentam às vezes, viu? 
Bom, confessei meus pecados, embora saiba que Ele vê tudo! Assim como mãe é mãe, Pai é Pai! Tá na nossa testa estampado: FIZ MERDA! Eles sabem disso! Mas falei pra me sentir mais leve...e me senti mesmo! Me peguei em lágrimas nesse momento...

E por fim, sem mais delongas, resolvi pedir à Ele que me desse sempre coragem, força, saúde (mais ainda), sabedoria pra discernir o coração das pessoas e zelo por aqueles que eu gosto e quero bem, pois sou muito relapsa com quem eu amo. Acho que perco muito (como citei acima) porque zelo pouco.

Quando abri os olhos dei de cara com uma plaquinha fofa (pintada pela minha tia), que se encontrava pendurada na parede, com os dizeres: "Deus, abençoa essa família''. Eu sorri!

É isso! Senti vontade de vir aqui e escrever sobre esse momento gostoso...esse bate-papo com Deus. Foi muito bom e me refrescou a alma! O aniversário foi da minha prima, mas o presente foi-me dado de forma tão especial! Obrigada, Deus! Amei o nosso papo!!! Mas lembrei que esqueci de dizer uma coisa: AMÉM!



Aproveitando, encontrei na net um texto maravilhoso (de onde extraí a imagem acima).
Pesquei nesse blog aqui. O autor, atende pelo nome de Eder Barbosa e, posso afirmar, o Deus que habita dentro do  meu coração é esse que ele descreve abaixo:


''O Deus que encontrei:

Rasguei os quadros de um deus que me pintaram. Porque encontrei um Deus mais que amoroso ou simplesmente fidedigno, antes de tudo, um Deus sensível, poeta criador. O Deus que encontrei demonstra importância por meus sentimentos, enfeita os meus dias com sua beleza e afabilidade. O Deus que encontrei é um Deus de ações comedidas, leal aos seus princípios e de entranhável misericórdia.

Desfiz-me das molduras em que estive eu enquadrado. O Deus que encontrei abriu mão do papel de juiz e tornou-se meu advogado. Testemunha fiel de todos os meus passos, que me estende a mão quando tropeço. O Deus que encontrei não hesita chorar comigo, pois nos entendemos em silêncio. O Deus que encontrei esquadrinha os recônditos da alma, me instrui e me guia com seus próprios olhos.


Já não consigo crer nesse deus inclemente. O Deus que encontrei vem brincar comigo, não se envergonha de um alto sorriso, ouve minhas histórias pacientemente. O Deus que encontrei é um Deus alegre, que zela pela amizade, tem um coração humilde e estima a cordialidade entre seus filhos. O Deus que encontrei é um Deus que liberta... Todos precisam saber a verdade: os outros são ídolos construídos pela mente humana.
Provai e vede: Deus é muito bom!''

Um comentário:

  1. É... Parece que eu, você e o Eder esbarramos com o mesmo Cara hein Dai? Lindo lindo! Selma

    ResponderExcluir

...

myfreecopyright.com registered & protected