"As pessoas querem perguntar sobre minha vida, mas se vocês simplesmente olharem para as coisas que eu escrevo, ai sim saberão de toda minha história." (Marilyn Manson)

terça-feira, 29 de maio de 2012

Como você julga?

"SENHOR, NÃO ME DEIXE JULGAR UM HOMEM, 
SEM QUE EU TENHA ANDANDO DURANTE DUAS LUAS COM SUAS SANDÁLIAS"
(Prece de um índio Navajo)


Tenho notado que, ultimamente, muitos tem se distraído com um passatempo super conhecido e praticado  desde que o mundo é mundo: JULGAR.
Parei pra analisar o assunto e, antes de começar a escrever qualquer coisa, fui dar uma checada no Wikipédia:

''(...) O termo julgamento geralmente se refere à uma avaliação que considera uma série de fatores ou provas para a formação de uma decisão embasada. Este termo possui várias acepções diversas, sendo as mais importantes, a psicológica, que é usada em referência à qualidade das capacidades cognitivas e adjudicação de particulares, normalmente chamado sabedoria ou discernimento (...)''.


Julgar é muito fácil (fácil???), principalmente pra quem tem preguiça de pensar ou se acha catedrático em ter sempre razão. Não é justo deixar de apurar os fatos DE FATO. Não falo aqui de julgar se o Fulano é bonito ou feio, ou se a Beltrana merece ou não determinada coisa e  blá blá blá, não...não me refiro a esse tipo de julgamento. Falo de coisas sérias, de situações do dia-a-dia que colocam em cheque o caráter de alguém, que destrói amizades, que dizima famílias, que adoece uma relação!
Quanto vale uma pessoa? Seria o cargo que ela ocupa, o carro que dirige, com quem se relaciona, qual a cor de sua pele, de que grupo ou religião faz parte?

As pessoas, em sua maioria, tendem a criar critérios próprios na hora de avaliar. Em grande parte dos casos pecam por olhar apenas um lado da moeda.
Não é correto se opor a ouvir as partes envolvidas (se nos referimos a pessoas), também é errado  dizer que determinada crença é a certa (sendo religião o assunto), assim como é inaceitável optar por desistir de algo por imaginarmos ser impossível de resolver (quando falamos em esperança) e por aí vai...

Eu julgo, tu julgas, ele julga...todos julgam! A questão é: você realmente acredita que a sua interpretação está correta? Avalie com cuidado e tente analisar se a leitura que você está fazendo de uma pessoa ou um caso é a mais coerente. Quem disse que mudar de ideia é errado? Não seria mais grandioso trocar o orgulho pela humildade? Por que separar se podemos unir?
Qual desses você escolhe:


- Ganha X Perde

- Perde X Ganha
- Perde X Perde 
- Ganha X Ganha


Às vezes são tomadas decisões erradas e, com isso, muitos saem afetados negativamente. O bem contagia, cura, beneficia, traz felicidade...
Já o mal...ahhh...esse contamina! E contamina feio!!! Esse confunde, maltrata, polui e dilacera.



Na hora de julgar, avalie, explore, investigue, busque a verdade! Não deixe que sentimentos ruins e ideias erradas confundam e detonem o fatos. Se for necessário, peça uma segunda opinião de alguém que seja neutro. Busque a clareza, seja coerente! Se desprenda de mitos, fofocas e teorias. Isso tudo contamina a verdade! Seja justo!!! Aí sim...julgue e seja feliz!!!
Lembrando que, se no final de tudo ficar um aperto no peito, uma tristeza ou qualquer sensação ruim, lamento informar, ainda não acabou...você julgou errado, meu caro! Nesse caso, corra ou pode ser tarde demais!



Por isso, eu digo, julgar não é pra qualquer um...até grandes juízes batem o martelo sem conhecer a fundo os fatos e cometem grandes e irreversíveis injustiças.


Quanto mais esperto o homem se julga, 
mais precisa de proteção divina para defender-se de si mesmo.
(Provérbio Seneca)



Nenhum comentário:

Postar um comentário

...

myfreecopyright.com registered & protected