"As pessoas querem perguntar sobre minha vida, mas se vocês simplesmente olharem para as coisas que eu escrevo, ai sim saberão de toda minha história." (Marilyn Manson)

quarta-feira, 14 de março de 2012

Ao meu Poeta, eu dedico: minha saudade!


Poeta é intenso, é sonhador, é verdadeiro, é amante, é criança, é homem, é mulher, é feliz, é triste, é vida, é morte;
Hora é extenso, hora é breve...mas sempre destila seus sentimentos no momento em que acorda o papel...e é nesse momento que ele eterniza seus pensamentos. É um dom? Não sei...vejo como um sopro do coração...este dita e a mão obedece, transmitindo, fazendo o eco!
Tive o prazer de conhecer intimamente um poeta e através dele descobri o amor, o genuíno amor!
Sensibilidade à flor da pele, uma pessoa pura, amável, me ensinou a desatar os nós da sensibilidade.
''- Preste atenção na letra dessa música, Dai!'' - Ele dizia!
E eu, na impaciência dos meus 16 anos achava isso um saco! Mas obedecia...queria me livrar. E assim fui me encantando pelas letras das músicas (comecei assim) e um dia recebi o primeiro poeminha escrito por ele...pra mim! Achei fofinho, mas confesso que esperava algo mais intenso...foi ali que percebi a importância da coisa!
Após esse primeiro de título "Poeminha Bonitinho''. Vieram outros...lindos, intensos...meu poeta!

Um dia ele me deu um que, apesar de não ser escrito por ele, foi muito marcante, pois passou a ser a nossa música...

MINHA NAMORADA

Meu poeta eu hoje estou contente
Todo mundo de repente ficou lindo
Ficou lindo de morrer
Eu hoje estou me rindo
Nem eu mesma sei de que
Porque eu recebi
Uma cartinhazinha de você

Se você quer ser minha namorada
Ai que linda namorada
Você poderia ser
Se quiser ser somente minha
Exatamente essa coisinha
Essa coisa toda minha
Que ninguém mais pode ser
Você tem que me fazer
Um juramento
De só ter um pensamento
Ser só minha até morrer
E também de não perder esse jeitinho
De falar devagarinho
Essas histórias de você
E de repente me fazer muito carinho
E chorar bem de mansinho
Sem ninguém saber porque

E se mais do que minha namorada
Você quer ser minha amada
Minha amada, mas amada pra valer
Aquela amada pelo amor predestinada
Sem a qual a vida é nada
Sem a qual se quer morrer
Você tem que vir comigo
Em meu caminho
E talvez o meu caminho
Seja triste pra você
Os seus olhos tem que ser só dos meus olhos
E os seus braços o meu ninho
No silêncio de depois
E você tem de ser a estrela derradeira
Minha amiga e companheira
No infinito de nós dois

(Vinicius de Moraes)

Há 14 anos ele se foi...hoje, meu Xande faz poema pras estrelas, mas deixou dois presentes, seus poemas vivos, pedacinhos do seu coração andando por aí...nosso filho Matheus, com todo seu romantismo, e nossa filha, Beatriz (em homenagem a Música). Essa escreve divinamente, como o pai, Alexandre Zarur, que deixou saudade! 

E como diz a linda Fernanda Estellita, minha poeta preferida:

Saudade é quando eu saio de você e te esqueço aqui dentro.
Saudade é quando a lembrança fica com a cópia da chave do melhor momento.
Saudade é quando a alma continua dentro da gente, mesmo que o corpo tenha ido embora.
Saudade é quando o meu aqui vive aí, mas daqui mesmo.
Saudade é quando longe de você te sinto dentro de mim.
Saudade é o mesmo instante só que distante.
Saudade é quando sou o que um dia fomos.
Saudade é quando a alma gostaria de ser abraçada por aquele momento de novo e sente frio.
Saudade é a memória do amor.
Saudade é um sentimento que vive em cima da hora.
Saudade é a sobra da sua falta.
Saudade rasga a presença e na nudez da ausência costura a falta de voyeur.
Saudade é quando você olha pro rosto de qualquer outro e lembra dele.
E a pior saudade que existe é da saudade de alguém.



E eu digo que, saudade, é o amor que fica!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

...

myfreecopyright.com registered & protected